terça-feira, 6 de setembro de 2011

Um grito de revolta - Êra Johnny!




















Esse é um relato pessoal de quem acompanhou,mesmo que por pouco tempo,a luta de um dos poucos que eu tenho orgulho de ter conhecido e que eu posso dizer com todas as letras:ele era P U N K !
Quando conheci o Johnny,eu estava acabando de chegar na cena punk paulista.Foi em um protesto que organizei,contra o voto obrigatório em 2008.No local combinado,tinha apenas 6 pessoas,e entre essas seis lá estava ele,com seu visual e força de vontade inconfundíveis.De cara nos tornamos amigos,era impossível ser diferente;e a partir desse dia,foram muitos protestos e shows na companhia dessa figura ímpar e cheio de vida.
Por conta de sua atitude firme e seu ideal anarquista,Johnny estava sempre nas páginas dos jornais,sendo difamado e marginalizado.Ele não tinha medo de enfrentar ninguém,nem mesmo o estado (esse ele fazia questão).Foi preso no protesto contra o G8;por agredir um neo-nazista(o Chukie,da gangue neo-nazista Impacto Hooligans),que recentemente foi preso por tentar matar moradores de rua próximo à Av:Paulista e por atirar ovos em políticos.Mas em nenhuma dessas situações foram mencionados os motivos que o levaram a praticar tais "delitos".
Nesse final de semana (03/09/2011),combinamos de ir a um show,no Carioca Club,em Pinheiros e como sabíamos que teriam no local esses grupos intolerântes,então achamos mais prudente irmos em grupo,para evitar maiores problemas.Mas não adiantou.Ao chegarmos na rua dessa casa de shows,fomos recebidos à tiros de rojão e bombas caseiras e no meio desse caos,esfaquearam Johnny,que não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital.
A imprensa,antes de se informar do ocorrido,já foi logo tratando de relacionar esse militante antifascista à grupos de "pumk's intolerântes",e mais uma vez marginalizando,querendo assim justificar sua morte,e abafando mais uma vez os verdadeiros responsáveis pelas covardias e barbáries que vem aumentando nas ruas de São Paulo.
Já temos nessa cidade,delegacias especializadas em crimes de ódio,temos grupos organizados que denunciam,veementemente,a intolerancia e seus agentes.O que falta para haver punição desses assassinos?Será que teremos que assistir a morte de mais Johnnys para que se tome uma atitude e acabem de vez com essa impunidade descarada?
Uma coisa eu tenho clara,não me calarei e não desistirei jamais dos ideais que,junto com esse amigo,lutava e continuarei lutando.Até a vitória final...
Êra Johnny - Antifa Sempre!!!

5 comentários:

  1. É impossível ficar alheio à morte dele :/
    Isso é inaceitável. Mais inaceitável ainda é permitir que esse tipo de coisa ainda aconteça!

    ResponderExcluir
  2. Sem comentários ! O cara tinha muita atitude mesmo, jamais será esquecido! Pena q não tive a oportunidade de conhecê-lo um pouco mais! Que descanse em paz pois a sua missão já foi cumprida!

    ResponderExcluir
  3. Morte aos skinheads e nazistas filhos de puta ! Nao o conheci , mas pelo que houvi falar sobre ele ! muita atitude !

    ResponderExcluir
  4. Mano, no ato anti-G8, a gente foi preso depois que ele quebrou a vidraça do McDonalds na Paulista(não que a tropa de choque não viria pra cima de qualquer jeito, mas o pretexto pra começarem a soltar bombas foi esse), eu fui preso também nesse dia. A opinião da gelera ficou dividida quanto à essa atitude. Esse nazistinha aí foi perto do Hangar 110, na Tiradentes.

    ResponderExcluir
  5. Johnny vive!!!!!nazis não passarão!!!!

    ResponderExcluir